É hoje o grande dia para mais um do grupo. Há muito que ansiávamos por ele, pelo casamento, principalmente porque ela, a noiva, sempre quis que acontecesse, sempre sonhou vestir-se de princesa para quando o seu príncipe chegasse. Lutou por isso, desiludiu-se, desiludiram-na, reergueu-se, demorou, mas ele, o príncipe, acabou por cruzar o seu caminho. É o seu dia! Falar dela é recuar no tempo, àquele da faculdade, onde o grupo se formou e ganhou laços. Laços que deram o nó e se mantêm para a vida. Vida recheada de histórias desde aquele tempo em que não controlávamos o riso e punhamos os professores de cabelos em pé, de contarmos quantas vezes algum deles repetia certa palavra, de sentirmos culpa por faltarmos às aulas e irmos almoçar para o shopping, de irmos todos ao cinema, de trocarmos folhas durante os exames e tremermos de medo, da D a dizer ‘oh páaaa!”, da L ser o meu amor secreto e ser o orgulho de todos nós, da I demorar duas horas a comer o lanche enquanto apertava a barriga, da S, que desconfiou que afinal eu amava a L e tratou de nos juntar e, depois, juntou-se ao grupo a M, com a gargalhada característica que nos faz rir ainda mais. Parece que foi ontem, mas já vão para lá de catorze anos. Nunca mais nos largamos! Nem em pensamento. Podemos estar semanas sem nos vermos mas, mais cedo ou mais tarde, voltamos a estar e a rir. A rir muito! Hoje, como naqueles anos, estamos aqui, juntos, pela D que casa com outro D! O Dia D! Há festa, há risos, há alegria e cumplicidade e há, sobretudo, amor! E ele, o amor, vence sempre!