Recentemente ficou completa a coleção Ases da Matemática, com a publicação da mais recente criação intelectual, Ases da Matemática 12, que fechou o ciclo do projeto. Este, consiste num conjunto de manuais de apoio escolar para os alunos e professores do 5.° ao 12.° ano de escolaridade, na disciplina de Matemática. Idealizado pela Porto Editora, o projeto surgiu na sequência da última reformulação do programa da disciplina, juntamente com a introdução das novas metas curriculares. Cada manual foi pensado para trabalhar os vários temas dividindo-os por fichas e, no final de cada tema, contém dois testes, um sobre o tema em estudo e outro que junta, cumulativamente, as matérias do(s) tema(s) anterior(es). Os exercícios são variados e o grau de dificuldade é heterogéneo, desde questões de aplicação direta de conceitos aos exercícios de raciocínios mais elaborados. No final de cada livro, existe ainda um pequeno resumo teórico com o essencial dos vários conteúdos e com alguns exemplos de aplicação. Para quem adquire o livro existe, ainda, a possibilidade de consultar online as resoluções detalhadas de todos os exercícios. Sem dúvida, um projeto muito bem pensado e que ajuda a uma melhor organização do estudo dos alunos e mesmo um instrumento útil para uma organização mais eficaz das aulas e das fichas elaboradas pelos professores.

Tive a sorte de fazer parte do projeto como co-criador intelectual e orgulho-me bastante do trabalho realizado. Corria o ano de 2012 e fomos (eu e a minha colega de profissão, porventura a mulher da minha vida, mãe do meu mais que tudo, que na altura nem existia) sondados pela editora para iniciarmos a coleção do terceiro ciclo, com o Ases da Matemática 7. Receosos e sem saber se daríamos conta do recado, aceitámos o desafio e iniciámos os trabalhos durante o primeiro período desse ano. Claro que estávamos a dar aulas ao mesmo tempo, o que nos fez trabalhar muito e aproveitar todos os tempos livres que tínhamos: fins de semana, interrupções letivas e feriados. Todo o tempo era pouco para fazer um livro que tinha a Porto Editora como rosto! Tudo tinha que ser pensado, não fosse estarmos a trabalhar para depois deitar fora. Dividir o programa por temas, pensar no total de páginas que o livro teria que ter, retirar as páginas destinadas ao índice, às soluções e ao resumo teórico, distribuir as restantes pelos temas e, dentro de cada tema, pensar no número de fichas destinadas ao estudo do mesmo e aos testes finais. Depois, dividir o trabalho entre os dois. Um ficava responsável por um certo número de fichas, o outro pelas restantes. Geralmente, um digitava-as todas a computador e o outro fazia as respetivas resoluções que também tinham que ser digitadas. Quando se acabava um tema, enviava-se o original produzido em ficheiro para paginação e para colocarem as imagens já transformadas em desenhos digitais. À medida que o ano letivo decorria, e ainda em trabalho de criação de original, surgiam as primeiras provas para ver se estavam de acordo com o pretendido e fazer as correções necessárias. Aqui já dava para visualizar o aspeto que o livro iria ter. Guardo na lembrança as primeiras provas recebidas. Tudo era novidade, nunca o tínhamos feito e era bom pensar que todo o trabalho estava ali, naquelas páginas que mais tarde centenas de alunos iriam ler! Em alguns momentos do ano foi complicado conciliar tudo, gerir aulas e o livro, cumprir prazos e entregar a tempo o que na verdade já estava atrasado. Na fase final, por volta de junho e julho, tudo tinha que ser confirmado e validado: provas, soluções, resoluções (que também tinham que estar todas digitadas). Em agosto, o livro teria que seguir para impressão. Finalmente, o momento em que recebíamos o livro já impresso pelo correio… que emoção! As cores escolhidas para a capa, o aspeto das figuras, o cheiro a livro novo… o trabalho de um ano ali condensado em cerca de 181 páginas bonitas que não contam o que está por trás. Mas nós sabemos o que elas escondem! O trabalho que deram! As emendas e as correções que tiveram! E sabemos por termos passado por todas aquelas fases 4 vezes: Ases 7, Ases 8, Ases 9 e Ases 11. 4 vezes, 4 Ases de um baralho de livros que nos deixam com um sorriso no rosto, de dever cumprido e de total satisfação pelo feedback que vamos recebendo. Somos suspeitos a falar sobre eles, não queremos ser mais que ninguém nem ter mais do que alguém, queremos apenas que de alguma forma estes livros façam a diferença e ajudem, o pouco que seja, os alunos que procuram mais sucesso. E é isso que queremos, o nosso sucesso é conseguido com o sucesso dos alunos! Afinal, somos professores, não somos escritores. Não será o sucesso dos alunos o objetivo de cada professor?

Podes encomendar os livros da coleção Ases da Matemática, na Wook, que faz desconto.