Arouca, 1 de agosto de 2017, 6:50, vinte minutos antes do despertador tocar, acordámos, como já se vem tornando hábito, com um ‘já está!’ do João, que é como quem diz ‘levantem-se, venham buscar-me imediatamente que eu quero é ir para a brincadeira!’. Pequeno-almoço reforçado, água, protetor e fruta numa mochila, acabando com um até já ao pequenote que ficou entregue aos mimos da vovó.  Partimos à aventura rumo aos Passadiços do Paiva. Não que seja a nossa estreia neste já galardoado ‘projeto mais inovador da Europa’ na categoria de turismo. Quanto a mim é já a segunda vez este ano, e também lá estive quer em 2015, ano da sua inauguração, quer em 2016, mesmo antes dos grandes incêndios que fustigaram o concelho.

O sol já espreitava e a brisa, fresca, estava mesmo propícia à caminhada de mais de 8 km. A partir da vila é muito simples chegar ao local da partida, havendo indicações por toda a parte. Por experiência, definimos fazer o sentido Areinho-Espiunca, por ter a parte mais difícil do trajeto logo no inicio. Levámos dois carros, deixando um no ponto de chegada e levando o outro para o ponto de partida. Assim, quando terminada a caminhada fizemos o contrário. Pegámos no carro que estava no ponto de chegada e fomos buscar aquele ficou no ponto de partida. Um pouco engenhoso mas que evita o pagamento de 12,50€ (15€ ao fim de semana e feriados) a um taxi para fazer o transporte dos forasteiros até ao respetivo veículo.

No Areinho, local da nossa partida, existe um bar, casas de banho e uma praia fluvial com vigilância. Chegando cedo, é possível estacionar gratuitamente e até arranjar sombra para o carro. Caso não haja vaga, existe um parque de apoio e de grande dimensão. No entanto, fica a mais de 500 metros do local. 

Parque de estacionamento de apoio aos Passadiços

Partimos. O percurso começa com terra batida e, alguns metros mais à frente, deparamo-nos com aquilo de que estamos a falar, os passadiços. Depois de muitas escadas e de subidas íngremes, chegamos ao posto de controlo para registar a entrada e mostrar os bilhetes (costumamos comprar no sítio oficial na internet, a 1€ cada, mas pode ser efetuada a compra no local, aí por 2€; é preferível verificar previamente a disponibilidade de bilhetes e fazer a respetiva reserva, não vá ir ao engano! Se reservar, não imprima os bilhetes, bastando mostrar o código QR que constam nos mesmos e que são enviados para o email.)

Posto de controlo de entradas-saídas

Depois de passar neste posto quase que não há mais subidas e troços complicados e cansativos. Desfruta-se da paisagem, das quedas de água, do barulho do rio Paiva que se junta a nós a pouco e pouco, da fauna e da flora características do local.

Ao longo do percurso, são várias as plataformas construídas para usufruir da paisagem e tirar algumas fotografias. Encontramos, ainda, três postos SOS, caso seja necessário.

A meio do percurso, é necessário recarregar baterias, descansar, comprar alguma coisa para comer e ir à casa de banho. Tudo isso é possivel na praia do Vau. Antes, ainda podemos atravessar uma ponte suspensa que é apenas mais uma experiência, diferente e desafiadora para quem gosta de sentir o chão a fugir dos pés!

Já na segunda parte do percurso o número de sombras diminui, por isso é exigido um cuidado reforçado com o sol. Com sorte, podemos ainda ser brindados com algumas surpresas encantadoras.

Até que chega o último quilómetro e, no final, espera-nos mais um espaço onde podemos usufruir da sombra, de uma bebida e do merecido descanso. Bem-vindos a Espiunca!

O passeio é memorável! Não nos cansamos de o revisitar. Vale mesmo a pena! Foi uma aposta ganha nesta terra que há muito me conquistou. Segundo um jornal local o número de visitantes já ultrapassou os trezentos mil desde que os Passadiços foram inaugurados. Vá lá, não percas tempo. Calça as sapatilhas, põe o protetor e a água na mochila e parte à aventura. É que eu ‘Fui ali e já voltei’!

O vídeo que diz tudo, por Joel Santos (português e melhor fotógrafo de viagens do mundo):

https://youtu.be/QNaey-EnD0k

Página oficial: http://www.passadicosdopaiva.pt

Sugestão para quem quer ficar alojado por perto (em Arouca, mesmo no centro da vila)

 http://www.hotelspedro.com/hotel-overview.html